Ajude nos com sua doação

Translate

Caso Bruno: Macarrão diz que Bruno já tentou o suicidio.

‘Bruno tentou se matar várias vezes’, diz Macarrão em audiência no Rio

Os dois foram orientados a não falar sobre o suposto crime em juízo.
Informação foi passada por assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça.

Mesmo tendo se recusado a falar sobre o crime a que respondem pelo seqüestro de Eliza Samudio em juízo, Macarrão, pediu a palavra na audiência desta sexta-feira (17) e disse não estar mais agüentando a situação.
“Estamos presos há 70 dias e Bruno já tentou se matar várias vezes. É só isso o que tenho pra dizer. O que tinha pra falar, eu já disse na delegacia”, resumiu o amigo do goleiro, após a saída do atleta da sala, que também se recusou a falar sobre a acusação em juízo. As informações foram passadas pela assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Rio. A audiência acontece no Fórum de Jacarepaguá, na Zona Oeste.
Os dois respondem por seqüestro e lesão corporal, que teria acontecido em 2009. Na época, ela estava grávida e registrou queixa na delegacia acusando os dois de a terem levado para um apartamento do jogador e a obrigado a ingerir remédios abortivos.
Bruno e Macarrão estão presos desde julho por outro crime. Eles também são réus no processo que investiga a morte de Eliza Samudio na Justiça de Minas Gerais. Eles vão responder na Justiça por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Eles negam o crime. As penas podem ultrapassar 30 anos. A jovem falou pela última vez com parentes e amigas no início de junho.
Autógrafo
Antes de Bruno e Macarrão se negarem a falar em juízo nesta sexta, os depoimentos das testemunhas de defesa duraram 1h40.
Entre os depoimentos mais curtos está o de Zico, que falou por apenas 10 minutos e contou que teve contato com Bruno por apenas 10 dias e que ele apresentava uma conduta normal. O ex-craque disse ainda que só ficou sabendo do envolvimento do jogador com Eliza e da declarações ofensiva às mulheres pela imprensa.
A audiência contou com um momento tietagem: após receber a palavra do juiz, que havia liberado Zico para perguntas, o promotor Eduardo Paes pediu um autógrafo do ídolo do Flamengo.
Mesmo se absolvido, Bruno não jogará mais pelo Flamengo
Já Patrícia Amorim falou por 17 minutos. Entre outras coisas, ela afirmou que Bruno está com o contrato suspenso aguardando o final dos processos a que ele responde na Justiça, mas que, mesmo se for absolvido, ele não voltará a jogar pelo Flamengo.
“Passei ater contato com o Bruno quando assumi (a presidência do Flamengo), em janeiro. (Ele) Sempre cumpriu as determinações do clube, mas quando fazia alguma coisa errada, eu o advertia pessoalmente, como fiz no caso daquele entrevista (em que fala pergunta quem nunca bateu em mulher). Ele era o capitão do time e, nessa posição, era o porta-voz da diretoria para falar com os outros jogadores. Quando alguém tinha que ser advertido era ele que falava com os jogadores.”
Festas tinham pessoas nuas, diz jogador
O goleiro do Flamengo Paulo Victor também prestou depoimento nesta sexta. Ele afirmou que conheceu Eliza numa festa em que ela estava acompanhada de Bruno e admitiu que, no evento, havia pessoas nuas pela casa. Ele, no entanto, negou que tenha emprestado seu carro para que o amigo a levasse para Belo Horizonte. O atleta confirmou ainda que Bruno e Elisa namoravam, mas que não costumavam sair juntos com muita freqüência.
O lateral Léo Moura falou ao juiz por 12 minutos. Ele afirmou que só podia falar do ex-colega de time sob o aspecto profissional e que sabia apenas que Bruno, Adriano e Wagner Love eram amigos dentro de campo. Segundo o jogador, ele conheceu Macarrão apenas quando ele esteve no clube acompanhando os treinos.
Já o zagueiro e ex-jogador do Flamengo, Alvaro disse que Elisa era conhecida no Brasil e até na Europa por vários jogadores. Que chegou a ouvir que Bruno era mulherengo, mas não sabe dizer se ele saía com mulheres de programa.

Bruno passa mal
O goleiro Bruno passou mal no início da tarde desta sexta-feira (17), no fórum de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Uma ambulância chegou ao local para atendê-lo. Segundo o Tribunal de Justiça, ele sofreu uma queda de pressão e chegou a desmaiar na cela, antes de entrar na sala de audiência.
A mãe de Eliza Samudio não conseguiu assistir à audiência. Sônia Samudio teve uma crise nervosa ao ficar cara a cara com o goleiro na sala de audiência e saiu chorando. 

DNA
Mais cedo, ao chegar ao fórum, o advogado do jogador, Ércio Quaresma, disse que seu cliente estava disposto a fazer o exame de DNA para saber se o filho de Eliza Samudio é de Bruno. Ele é acusado de sequestro e de tentar fazer com que ela abortasse, crimes que teriam sido cometidos em 2009, no Rio. Já em Minas Gerais, ele é acusado pelo sequestro e morte de Eliza, desaparecida desde junho deste ano.
“É uma estratégia para diminuir a pena dele, querem passar uma imagem de bom moço do Bruno. Mas, com certeza, ele será condenado”, disse o promotor Eduardo Paes.

Fonte: G1.
==================
Será dor na consciência.

Categories: Share

Leave a Reply