Ajude nos com sua doação

Translate

Quem tem nível superior pode disputar vaga de técnico? Tire dúvidas

Em vídeo, Lia Salgado, colunista do G1, orienta internautas.
'Se edital prevê uma escolaridade, instituição não aceitará outro diploma'.



É comum pensar que quem tem nível superior poderá concorrer tranquilamente a um cargo de nível inferior, mas, em concursos públicos, a regra "quem pode mais, pode menos" nem sempre vale. É o que diz Lia Salgado, colunista do G1. Ao responder em vídeo às dúvidas dos internautas (veja ao lado), a especialista em concursos explica que "se o edital prevê uma escolaridade não dá para imaginar que a instituição aceitará, espontaneamente, um diploma de formação diferente, ainda que na mesma área".
Tem alguma dúvida sobre concursos? Envie no espaço para comentários
Lia responde aos internautas Rafael Guglielmi Puiatti e Bruno Fernandes de Sousa que, em certos casos, o órgão poderá alegar que a formação de nível superior possui requisitos diferentes da técnica. Mas é possível que o candidato que esteja nessa situação recorra à Justiça para garantir que sua formação seja aceita. "Existem vários casos em que o Judiciário deu ganho de causa e garantiu a posse", afirma a colunista.
Curso à distância é aceito?
Lia também respondeu se cursos de graduação à distância são aceitos em concursos públicos. "A lei diz que, se a instituição for reconhecida pelo Ministério da Educação, seu diploma vale tanto quanto o de uma faculdade presencial", afirma a colunista. "Só preste atenção se não é curso sequencial, que tem algumas restrições para concursos. Ele vale como nível superior, mas não é considerado graduação."
 
Vale a pena estudar só por apostilas?

Atlas Souza questionou Lia se, para um concurso como o de agente da Polícia Federal, é recomendável estudar apenas por apostilas. "Esse é um concurso de nível superior cuja cobrança é bastante profunda e abrangente. Nesse caso, sugiro que estude por livros", respondeu a consultora. "Por serem de uso mais permanente, existe um cuidado maior com as informações escritas ali, com atualizações. E normalmente são feitos por professores que têm muita experiência em concursos. Eles fazem uma abordagem adequada, conhecem a banca examinadora... Isso em se tratando de editoras especializadas em concursos", aconselha. As apostilas, diz Lia, seriam úteis em caso de estudos mais superficiais, mais rápidos.
 
* Lia Salgado, colunista do G1, é fiscal de rendas do município do Rio de Janeiro, consultora em concursos públicos e autora do livro “Como vencer a maratona dos concursos públicos”

Categories: Share

Leave a Reply