Ajude nos com sua doação

Translate

Corpo de aluno que morreu em escola do ABC é velado

David Mota Nogueira tinha 10 anos e atirou na própria cabeça.
Antes, ele feriu uma professora; crime foi em escola de São Caetano do Sul.

Alunos da escola, acompanhados dos pais, foram ao velório (Foto: Carolina Iskandarian/G1)Alunos da escola, acompanhados dos pais, foram
ao velório. (Foto: Carolina Iskandarian/G1)
O corpo do estudante David Mota Nogueira, de 10 anos, que atirou contra uma professora e se matou em seguida, começou a ser velado às 23h30 desta quinta-feira (22), no Velório Municipal do Cemitério das Lágrimas, em São Caetano do Sul, no ABC paulista. O crime ocorreu dentro da Escola Municipal Alcina Dantas Feijão, em uma sala de aula onde havia outras 25 crianças do 4º ano. O motivo do crime é desconhecido.
Ainda sem entender o que tinha acontecido com um menino que não tinha histórico de violência e era considerado tranquilo, a família do garoto não quis dar entrevistas.
Na porta do velório, a todo momento chegavam amigos do irmão mais velho de David, um adolescente que teria 17 anos. Alguns pais de alunos da escola também foram velar o corpo da criança.
O administrador do Cemitério das Lágrimas, Roberto Morales, contou que só na manhã desta sexta (23) o local e o horário do enterro serão definidos.
O estudante Lucas Fernando Alves Rocha de Souza, de 15 anos, contou que viu o corpo de David no chão logo após o menino disparar contra a própria cabeça. “Subimos para a sala (depois do intervalo) e logo ouvimos o barulho do disparo. Ele caiu na escada, ficou tremendo.”
Brenda Tayná Souza, de 16 anos, e aluna do 9º ano, contou que houve pânico e correria nos corredores da escola. “Pensamos que era uma bomba. Foi horrível”, disse ela sobre o barulho dos disparos.
A professora ferida por David, identificada como Rosileide Queiros de Oliveira, de 38 anos, deixou a escola consciente, por volta de 16h30. Atingida na região lombar, ela foi encaminhada ao Hospital das Clínicas, Zona Oeste de São Paulo. Em coletiva mais cedo, o secretário da Segurança Pública do município, Moacyr Rodrigues, disse que o revólver usado por David era do pai dele, um guarda-civil municipal. No entanto, a arma era particular, e não da corporação. Guardas-civis, colegas de trabalho do pai do menino, faziam a segurança da sala do velório.

-------------------------------------

Estudante que atirou em professora no ABC será enterrado nesta sexta

Enterro será em cemitério de São Caetano do Sul nesta tarde.
Professora continua internada e não corre risco de morrer.

O corpo do estudante David Mota Nogueira, de 10 anos, deverá ser enterrado às 16h desta sexta-feira (23) no Cemitério das Lágrimas, em São Caetano do Sul, no ABC, segundo informações do cemitério. O garoto baleou a professora Rosileide Queiros de Oliveira, de 38 anos, dentro de uma sala de aula da Escola Municipal Alcina Dantas, nesta quinta (22). Em seguida, ele atirou em si mesmo.
Rosileide continuava internada no Hospital das Clínicas de São Paulo na manhã desta sexta e não corria risco de morrer, segundo a Prefeitura de São Caetano do Sul. Ela foi atingida na região lombar.
Nesta sexta, as aulas continuavam suspensas na Escola Municipal Alcina Dantas. O colégio amanheceu fechado e não deverá haver atividades ao longo do dia. No momento do crime, havia outras 25 crianças do 4º ano do ensino fundamental na sala de aula. A polícia ainda não sabe o que o estudante a atirar na professora e em si mesmo.
escola são caetano do sul (Foto: Juliana Cardilli/G1)Escola onde crime aconteceu permanecerá fechada nesta sexta-feira (Foto: Juliana Cardilli/G1)

Velório

O corpo de David começou a ser velado às 23h30 desta quinta-feira no Velório Municipal do Cemitério das Lágrimasl. Ainda sem entender o que tinha acontecido com um menino que não tinha histórico de violência e era considerado tranquilo, a família do garoto não quis dar entrevistas.
Alunos da escola, acompanhados dos pais, foram ao velório (Foto: Carolina Iskandarian/G1)Alunos da escola, acompanhados dos pais, compa-
receram ao velório (Foto: Carolina Iskandarian/G1)
Na porta do velório, a todo momento chegavam amigos do irmão mais velho de David, um adolescente que teria 17 anos. Alguns pais de alunos da escola também foram velar o corpo da criança, que era considerada tranquila e não tinha histórico de violência.

Arma do crime

 O secretário da Segurança Pública de São Caetano do Sul, Moacyr Rodrigues, disse nesta quinta que o revólver usado por David era do pai dele, um guarda-civil municipal. No entanto, a arma era particular, e não da corporação.

Fonte: G1

Categories: , Share

Leave a Reply