Ajude nos com sua doação

Translate

'A hora e a vez de Augusto Matraga' é o grande vencedor do Festival do Rio

Longa-metragem de Vinícius Coimbra foi premiado com cinco troféus Redentor.
Camila Pitanga emocionou-se ao receber prêmio na categoria Melhor Atriz.

"A hora e a vez de Augusto Matraga", longa-metragem dirigido pelo estreante Vinícius Coimbra, foi o grande destaque da cerimônia de premiação do Festival do Rio 2011, realizada na noite desta terça-feira (18), no Cine Odeon. Baseado no conto homônimo do escritor mineiro Guimarães Rosa, o filme levou cinco troféus Redentor: Melhor Longa-Metragem de Ficção (voto popular e júri oficial), Melhor Ator (João Miguel) e Melhor Ator Coadjuvante (José Wilker), além de um prêmio especial para Chico Anysio.
Chico Anysio (na cadeira de rodas) exibe o prêmio especial do júri junto com a equipe do longa 'A hora e a vez de Augusto Matraga' (Foto: Alexandre Durão/G1)Chico Anysio (na cadeira de rodas), o diretor Vinícius Coimbra (com o troféu, à dir.) e parte da equipe do longa 'A hora e a vez de Augusto Matraga' (Foto: Alexandre Durão/G1)
"Esse filme naturalmente nasceu da minha paixão pela obra de Guimarães Rosa. E a paixão tem que ser muito grande para você encarar esse desafio. Acima da minha paixão estava um desejo muito grande de levar essa história ao conhecimento do povo brasileiro, que hoje em dia já está perdendo o contato com estes gênios que tivemos na literatura, que falaram com tanta propriedade da alma do brasileiro. Espero que o povo vá ao cinema e reconheça esta história", agradeceu o diretor, que dedicou o prêmio a "todos os realizadores do cinema brasileiro".
O humorista Chico Anysio, que participou da festa com o auxílio de uma cadeira de rodas, fez questão juntar-se à parte da equipe que trabalhou no longa para ressaltar a obra do escritor e o trabalho do diretor.
"O filme é importantíssimo, a obra é linda. Vinícius realizou algo quase inacreditável. É um filme que, tenho certeza, Sergio Leone assinaria com alegria. É a hora e a vez de Vinícius Coimbra", destacou o bem humorado Chico, que brincou com o fato de precisar de ajuda para subir e descer do palco.
"Eu peço que tenham compaixão. Não vão embora e me deixem aqui sozinho. Quando estava subindo, só pensava na hora de voltar. E eu participei do filme brasileiro mais premiado hoje", lembrou o ator, provocando gargalhadas na plateia.
O diretor Carlos Manga (de gravata vermelha) brinca com a própria estátua diante do também diretor Neville D'Almeida (Foto: Alexandre Durão/G1)O diretor Carlos Manga (de gravata vermelha) brinca com a própria estátua diante do também diretor Neville D'Almeida (Foto: Alexandre Durão/G1)
Apresentada pelos atores Thiago Lacerda e Vanessa Lóes (marido e mulher), a cerimônia teve início com a inauguração de uma estátua do diretor Carlos Manga. Aplaudido de pé, posou para os fotógrafos ao lado da reprodução e também se emocionou ao se referir à nova geração brasileira de cineastas.
"Em uma noite que tantos diretores novos precisam vencer, torço por vocês todos. Continuem tentando, porque não há nada mais lindo no mundo do que você pegar uma criança, que é um filme, e fazê-la chorar, falar e ser aplaudida. É uma profissão maravilhosa", declarou.
"Emoção" parecia ser mesmo a palavra de ordem da noite. Camila Pitanga, premiada na categoria Melhor Atriz por seu desempenho em "Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios", também não conteve as lágrimas na hora dos agradecimentos.
"É a minha cidade, minha casa, meu nascedouro. Sinto-me parte da família do cinema muito antes de ter nascido, porque sou filha de Antônio Pitanga", disse Camila, homenageando o pai, que ocupava um dos lugares da sala do Odeon. A atriz também lembrou dos diretores do longa, Beto Brant e Renato Ciasca, e dedicou o prêmio à mãe, a também atriz e bailarina Vera Manhães.
Vanessa Lóes, uma das apresentadoras da noite, ri de Lázaro Ramos, que colocu a atriz Maria Luísa Mendonça para agradecer ao troféu de Melhor Atriz Coadjuvante pelo telefone, no viva-voz (Foto: Alexandre Durão/G1)Vanessa Lóes, uma das apresentadoras da noite, ri de Lázaro Ramos, que colocu a atriz Maria Luísa Mendonça para agradecer ao troféu de Melhor Atriz Coadjuvante pelo telefone, no viva-voz (Foto: Alexandre Durão/G1)
O momento mais descontraído da noite foi o anúncio de Maria Luísa Mendonça como vencedora na categoria Melhor Atriz Coadjuvante por "Amanhã nunca mais". Ausente, foi representada por Lázaro Ramos, que telefonou para a atriz assim que subiu ao palco. Com o telefone no viva-voz, tentou fazê-la agradecer ao prêmio, mas não deu muito certo. Mesmo assim, o episódio proporcionou boas risadas, inclusive aos apresentadores.
Também foram destaque na premiação os longas "Sudoeste" (Melhor Fotografia, prêmio especial do júri como Melhor Longa-Metragem de Ficção e prêmio Fipresci), o documentário "As canções", de Eduardo Coutinho (Melhor Longa-Metragem Documentário nos júris oficial e popular), "O abismo prateado" (Melhor Direção para Karim Aïnouz) e "Mãe e filha" (menção honrosa para Melhor Longa-Metragem de Ficção e Melhor Fotografia).
Veja a lista completa dos vencedores do Festival do Rio 2011:
Melhor Longa-Metragem de Ficção
Júri oficial: "A hora e a vez de Augusto Matraga"
Júri popular: "A hora e a vez de Augusto Matraga"
Menção honrosa: "Mãe e filha"
Prêmio especial do júri: "Sudoeste"

Melhor Longa-Metragem Documentário
Júri oficial: "As canções"
Júri popular: "As canções"
Prêmio Especial do Júri: "Olhe pra mim de novo"
Melhor Direção
Karim Aïnouz ("Abismo Prateado")

Melhor Ator
João Miguel ("A hora e a vez de Augusto Matraga")

Melhor Atriz
Camila Pitanga ("Eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios")
Melhor Atriz Coadjuvante
Maria Luiza Mendonça ("Amanhã nunca mais")
Melhor Ator Coadjuvante
José Wilker ("A hora e a vez de Augusto Matraga")
Prêmio especial do júri: Chico Anysio ("A hora e a vez de Augusto Matraga")

Melhor Roteiro
Odilon Rocha ("A novela das 8")

Melhor Montagem
Jordana Berg ("Marcelo Yuka - No Caminho das Setas")
Melhor Fotografia
Mauro Pinheiro Jr. ("Sudoeste")
Petrus Cariry ("Mãe e filha")
Melhor Curta-Metragem
Júri oficial: "Qual queijo você quer?"
Júri popular: "Passageiro"
Menção honrosa: "Tempo de criança"

Prêmio Fipresci (Federação Internacional de Críticos de Cinema)
"Sudoeste"
Mostra Novos Rumos
"Rânia"

Fonte: G1

Categories: , Share

Leave a Reply