Ajude nos com sua doação

Translate

Sem propaganda, grife americana vira 'uniforme' para adolescentes

Não importa se a produção é para o show do Justin Bieber ou para a aula de português. Fernanda Mattos, 12, e amigas elegeram a grife americana Abercrombie & Fitch (A&F) a preferida em todas as ocasiões.
A marca, que não faz propaganda, virou febre. "Todo mundo falava que era legal, comecei a usar também. É moda", diz Fernanda, do 7º ano do Colégio Vera Cruz.
Ela não destoa das colegas. Ao longo da semana, sempre usa uma de suas 15 camisetas ou um moletom. Não desgruda de duas bolsas, uma xadrez e outra com o alce, símbolo da marca. "É uniforme. Todas as minhas amigas usam."


Alexandre Rezende/Folhapress
As amigas Júlia Dantas, 10, Fernanda Mattos, 12, Camila de Almeida, 13, Lívia Lopes Ferreira, 13, e Maria Rita Carvalho, 12
As amigas Júlia Dantas, 10, Fernanda Mattos, 12, Camila Almeida, 13, Lívia Ferreira, 13, e Maria Rita Carvalho, 12
Entra em cena a pressão social para ser igual e aceito pelo grupo. "A moda muda, mas a moda de ficar na última moda não", diz a psicanalista Luciana Saddi.
A onda desembarcou por aqui na mala da garotada que volta de viagem aos EUA.
Visitar a loja da marca também virou mania. Nas férias de junho, a Abercrombie de Santa Mônica, na Califórnia, foi parada obrigatória para o advogado Marco Aurélio Gandolfo, 44, e os filhos Matheus, 9, e Rodrigo, 6. Segundo o pai, valeu a pena. Enquanto paga R$ 250 por um moletom no Brasil, lá encontrou por US$ 40 (R$ 70).
Aluna do Vera Cruz, Isabela Cutrona, 12, diz que elegeu a marca como uniforme escolar. "Na última viagem, comprei 30 peças na liquidação."
Na loja da 5ª Avenida, em Nova York, adolescentes do mundo inteiro formam filas ao redor do quarteirão para serem atendidos em um ambiente de música alta e perfumadíssimo.
"As peças chegam com um cheiro delicioso", diz a professora de inglês Miriam Waismann, 42, que cedeu aos apelos da filha Sofia, 10.
 
MODISMO

As peças da estação só são encontradas nas lojas dos EUA ou nos sites de compra. A rede Mandi & Co. é licenciada da grife no Brasil, mas vende uma coleção atrás. Em São Paulo, uma camiseta custa entre R$ 149 e R$ 189.
Foi justamente para evitar o desfile de moda e de logomarcas que o Colégio Sidarta, na Granja Viana, voltou atrás da liberação do uso do uniforme às sextas-feiras.
"Era aquela coisa de quem não usa grife ser chamado de cafona ou de ridicularizar quem vinha de uniforme", relata Cláudia Siqueira Silva, diretora pedagógica.
A questão virou sarau promovido por alunos vestidos com etiquetas gigantes. "Foi uma oportunidade para trabalharmos a questão do conforto, do consumo e do corpo."
A cobiçada Abercrombie virou "Abri a Kombi" para a galerinha que resolveu não levar o modismo tão a sério.

Fonte: Folha de SP

Categories: Share

Leave a Reply