Ajude nos com sua doação

Translate

Cecília Meireles e Manuel Bandeira ganham reedições

Fazer com que Cecília Meireles fosse tratada como estrela de primeira grandeza era uma das preocupações de Alexandre Teixeira, neto da poeta e administrador da sua obra, quando convidou quatro editoras para lhe apresentar projetos de reedição.
A paulistana Global é a vencedora da concorrência de que participaram também Companhia das Letras, Objetiva (Alfaguara) e Globo --a Leya não estava incluída no grupo, apesar de notícias em parte da imprensa.
Não só Cecília foi negociada: Manuel Bandeira e Orígenes Lessa, dois outros autores que Teixeira representa, são agora da Global.


Acervo Última Hora/Folhapress
Entrave legal impedia renegociação da obra da escritora Cecília Meireles
Entrave legal impedia renegociação da obra da escritora Cecília Meireles
O contrato, anunciado ontem numa coletiva, prevê 130 obras em 40 meses, entre reedições e novos títulos organizados a partir do acervo dos três autores.
Incluem-se obras para crianças e jovens e em formato digital, além de biografias autorizadas. Os títulos começam a sair em janeiro.
Não foram divulgadas cifras. "Para nós, o valor financeiro não era o mais importante, e sim o da obra", afirmou Luiz Alves Jr., diretor-geral da Global, editora voltada quase exclusivamente para literatura brasileira.
O peso editorial, e não de marketing, dado à proposta da reedição e a presença no mercado educacional foram motivos que, segundo Teixeira, o levaram a escolher a Global. Era também preocupação de Teixeira ter ingerência nos projetos. "Será uma reedição compartilhada", explicou o administrador.
Cecília, Bandeira e Lessa estavam fora de catálogo, com poucas exceções. Bandeira, por exemplo, teve sua prosa reeditada pela Cosac Naify. "O Feijão e o Sonho", de Lessa, é da Ática. À medida que os contratos expirarem, a Global terá preferência nos títulos.
Até dois meses atrás, divergências familiares impediam a renovação do contrato de Cecília. Legalmente, Teixeira disse estar autorizado a fazer o novo negócio.

Fonte: Folha de SP

Categories: Share

Leave a Reply