Ajude nos com sua doação

Translate

Em júri, ex-jogador admite ter esfaqueado ex-mulher em SP

O ex-jogador de futebol Janken Ferraz Evangelista, 31, admitiu nesta terça-feira, durante julgamento, ter esfaqueado a ex-mulher. O crime ocorreu em 2009, na casa da vítima, na zona sul de São Paulo.

À Justiça ele afirmou que deu duas ou três facadas em Ana Cláudia Melo da Silva, 18. O réu ainda era interrogado, por volta das 21h30. É o segundo dia de júri, que acontece no fórum da Barra Funda (zona oeste de São Paulo).

Reprodução
Janken Evangelista, acusado de matar a ex-mulher em SP
Janken Evangelista, acusado de matar a ex-mulher em SP
Segundo o advogado do réu, Mauro Otávio Nacif, na segunda-feira foram ouvidas quatro testemunhas de acusação e duas de defesa.
A defesa do ex-jogador quer que ele responda por "legítima defesa com excessos". acusação quer que ele responda por homicídio triplamente qualificado, sem chance de defesa da vítima e por motivo torpe
CRIME
Ana Claudia foi assassinada com 14 facadas em sua casa, no dia 22 de março de 2009, na zona sul de São Paulo. A jovem foi encontrada morta no chão do banheiro de empregada do apartamento, na avenida do Cursino, com diversos ferimentos de faca no pescoço.
Após o crime, o ex-marido dela fugiu com o filho do casal --na ocasião com um ano e nove meses-- e foi preso três dias depois, na Bahia. Janken aguardava o julgamento no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Tremembé (147 km de SP).
 
JÚRI

O júri, que aconteceria em julho, foi suspenso após um dos jurados sorteados para a formação do conselho de sentença dizer que "não se sentia confortável para participar do julgamento".
Segundo o Tribunal de Justiça, o jurado pediu para falar com o juiz e afirmou que mora perto do local de onde a mulher foi assassinada. Também disse que está se divorciando e pleiteia a guarda compartilhada do filho e que está bastante abalado.
"O jurado manifestou estar totalmente desconfortável para participar desta sessão, demonstrando até estar um pouco emocionado enquanto expunha suas razões. Por tal motivo, verificando a impossibilidade de dar sequência à presente sessão, declaro dissolvido o conselho de sentença", afirmou o magistrado em sua decisão.

Fonte: Folha de SP

Categories: Share

Leave a Reply