Ajude nos com sua doação

Translate

Ex-escrava doméstica se reúne com mãe que a vendeu há 20 anos

Isabel, ou Ho Hsiao-feng, desembarca em Taiwan para reencontro com a família (Foto: AFP/ Getty)
Ho Hsiao-feng, desembarca em Taiwan para reencontro com a família
Uma mulher de origem taiwanesa que era mantida escrava nos Estados Unidos reencontrou a família na China após uma investigação que atraiu as atenções nos dois países.
Isabel, que segundo o jornal Taipei Times foi posteriormente identificada como Ho Hsiao-feng, chegou à sua cidade natal, Taitung, acompanhada do namorado, advogados e amigos na quarta-feira.

De acordo com a CNN, Hsiao-feng foi vendida pela mãe, que se encontrava em dificuldades financeiras, a uma família rica de Taiwan há mais de 20 anos, quando tinha sete anos de idade.O caso foi exposto pela primeira vez pela rede de TV americana CNN em uma série de reportagens para o projeto CNN Freedom (Liberdade) em novembro.
Ela relembrou uma infância de agressões e trabalho forçado. Ela nunca foi à escola, não sabe ler e não aprendeu a lidar com dinheiro. Quando a família se mudou para os Estados Unidos, em 2002, a menina foi junto.
Só depois dos 20 anos de idade é que ela conseguiu reunir coragem e fugir. Desde então, ela tem sido auxiliada por uma organização de bem-estar social americana e entrou com um processo contra a família que a tratou como escrava.
Apesar de ter sido abandonada pela mãe, Hsiao-feng fez uma declaração de amor quando apareceu na reportagem da emissora americana: "Se eu encontrá-la (minha mãe), vou dizer: 'Mãe, te amo tanto'. Só quero reencontrá-la".

Atenção

O incidente mobilizou a imprensa e o governo em Taiwan e o caso foi reproduzido por jornais e emissoras de televisão.
Fazendo escala durante uma viagem à América do Sul, o chanceler taiwanês, Timothy Yang, se encontrou com Isabel no aeroporto de Los Angeles, elevando o perfil do caso.
Foi a irmã mais nova de Isabel, Ho Hsiao-ying, que a identificou, ao ver sua imagem em um programa de TV.
Os trâmites para trazer Isabel de volta à casa foram rapidamente processados pelo governo taiwanês, que providenciou um passaporte chinês para a mulher. A companhia China Airlines, sediada em Taiwan, presenteou a mulher com passagem de classe executiva.
De acordo com o jornal China Post, Hsiao-feng, que fala inglês, precisou da ajuda de um tradutor para falar com a mãe, que fala o idioma nativo da tribo Paiwan.
Ainda segundo o jornal, a família comemorou o reencontro com um jantar e planejou rituais para celebrar a ocasião. Os parentes estão convidados para um banquete oferecido pelo governo à Hsiao-feng.

Fonte: BBC Brasil

Categories: Share

Leave a Reply