Ajude nos com sua doação

Translate

DENÚNICIA: Descaso no Hospital São Paulo


Domingo de sol e o Hospital São Paulo estava super lotado. A chegada ocorreu as 15h e levou 5h e 30 min para acontecer o atendimento.
Mas foi possível verificar muitas falhas no hospital. Varias pessoas eram deixadas de lado.
Mas o pior caso ocorreu quando ocorreu a troca de plantão, os pacientes que não foram atendidos no plantão da tarde foram orientados a subir para o primeiro andar. E aguardar.
E mais tempo for perdido.
O que chamou a atenção em primeiro plano, uma senhora que deveria ter uns 70 anos, negra. Estava em uma situação grave quando chegou ao hospital, foi colocado um tubo no nariz dela e após isto acomodada numa cadeira de rodas e colocada na recepção para aguardar atendimento.
A filha desta senhora disse que ela estava tendo um segundo derrame e em dado momento aquela senhora ficou inconsciente. Não respondia mais aos chamados da filha.
O mais chocante, o estado era gritantemente grave e aquela senhora estava na recepção sem qualquer tipo de atendimento.
Depois de várias horas minha mãe disse que aquilo era um caso gritante de racismo. Pois outras pessoas estavam chegando e passando na frente daquela senhora. E ela estava lá sem qualquer perspectiva de atendimento. E quando decidi informar as autoridades policiais e até entrar em contato com algum órgão de reportagem. Repentinamente uma das enfermeiras começou a se movimentar e após uns 5 minutos levaram aquela senhora para o setor de atendimento para aquele tipo de caso.
Porém o que mais me revoltou até pessoas leigas em medicina estavam verificando a gravidade daquele caso e porque aquela senhora não recebeu o atendimento devido.
Afinal de contas é uma vida. E em sério risco.
Macas cheia de pessoas sem perspectiva de atendimento. Uma menina de 14 anos delirando e tendo repentinos ataques, pois havia ingerido grande quantidade de alcool no Parque Ibirapuera.
Quando eu consegui ser atendida, o médico simplesmente me disse que não poderia me atender, pois eu estava com dores nas costas, dores de cabeça e dores no estomago. Disse que eu teria que buscar amparo na UBS do meu bairro.
Porém a UBS Jardim Iporã não presta atendimento. O meu caso especifico estou desde 2002 procurando encaminhamento para um hospital com referencia em endocrinologia e a UBS nunca marca consultas, quando marca não havia o dia da consulta. E quando me dirijo ao local para marcação de consultas a estorinha é sempre a mesma. A agenda de atendimentos é para dois ou três meses e hoje não há como marcar volte amanhã e assim vai.
O descaso com a saúde é algo insuportavel. Afinal a saúde é o bem mais precioso do ser humano e sem ela a pessoa esta impedida de realizar muitas coisas.
Voltando ao atendimento com o médico do Hospital São Paulo, ele me disse que não poderia acompanhar o caso, não passou nenhum medicamento para a dor que eu estava sentindo. Fez um longo discurso sobre corrupção no sistema de saúde. Disse que não me encaminharia para o setor de endocrinologia e especialização em obesidade mórbida porque se ele fizesse isto poderia ser advertido pelo Hospital. E que eu deveria procurar a UBS, a única coisa que ele poderia fazer era me fornecer uma carta para a UBS e somente isto. E foi o que fez.
Eu voltei para casa com dores nas costas, dores no estomago e dor de cabeça, sem saber a causa e sem ser medicada. Então se eu estiver com algo mais grave o problema é meu. E não posso contar com atendimento médico.
Para onde vão os recursos que devem ser investidos em saúde? Onde esta o amor a medicina ?

O juramento de Hipócrates é uma mera formalidade que não é seguida.

Prefácio
São estes os estatutos da arte médica que o aluno deve aceitar e confirmar por juramento, Contêm os preceitos sobre a gratidão para com o professor; sobre a integridade do doente e sobre os mais graves casos cirúrgicos não curáveis, como a extracção de cálculos da bexiga, como se debus pela divisão da medicina em três partes, Os antigos aceitavam-na, os Mercuriales rejeitam-na,
Argumento
Os deveres que o médico deve ter para com o professor e para com a profissão são: a integridade de vida, a assistência aos doentes e o desprezo pela sua própria pessoa,
Juramento
Juro por Apolo Médico, por Esculápio por Hígia (ou Hygéia, ou ainda Higeia) por Panaceia e por todos os Deuses e Deusas que acato este juramento e que o procurarei cumprir com todas as minhas forças físicas e intelectuais,
Honrarei o professor que me ensinar esta arte como os meus próprios pais; partilharei com ele os alimentos e auxiliá-lo-ei nas suas carências,
Estimarei os filhos dele como irmãos e, se quiserem aprender esta arte, ensiná-la-ei sem contrato ou remuneração.
A partir de regras, lições e outros processos ensinarei o conhecimento global da medicina, tanto aos meus filhos e aos daquele que me ensinar, como aos alunos abrangidos por contrato e por juramento médico, mas a mais ninguém.
A vida que professar será para benefício dos doentes e para o meu próprio bem, nunca para prejuízo deles ou com malévolos propósitos.
Mesmo instado, não darei droga mortífera nem a aconselharei; também não darei pessário abortivo às mulheres.
Guardarei castidade e santidade na minha vida e na minha profissão.
Operarei os que sofrem de cálculos, mas só em condições especiais; porém, permitirei que esta operação seja feita pelos praticantes nos cadáveres,
Em todas as casas em que entrar, fá-lo-ei apenas para benefício dos doentes, evitando todo o mal voluntário e a corrupção, especialmente a sedução das mulheres, dos homens, das crianças e dos servos,
Sobre aquilo que vir ou ouvir respeitante à vida dos doentes, no exercício da minha profissão ou fora dela, e que não convenha que seja divulgado, guardarei silêncio como um segredo religioso,
Se eu respeitar este juramento e não o violar, serei digno de gozar de reputação entre os homens em todos os tempos; se o transgredir ou violar que me aconteça o contrário.
Prometo solenemente consagrar a minha vida ao serviço da Humanidade.
Darei aos meus Mestres o respeito e o reconhecimento que lhes são devidos.
Exercerei a minha arte com consciência e dignidade.
A Saúde do meu Doente será a minha primeira preocupação.
Mesmo após a morte do doente respeitarei os segredos que me tiver confiado.
Manterei por todos os meios ao meu alcance, a honra e as nobres tradições da profissão médica.
Os meus Colegas serão meus irmãos.
Não permitirei que considerações de religião, nacionalidade, raça, partido político, ou posição social se interponham entre o meu dever e o meu Doente.
Guardarei respeito absoluto pela Vida Humana desde o seu início, mesmo sob ameaça e não farei uso dos meus conhecimentos Médicos contra as leis da Humanidade.
Faço estas promessas solenemente, livremente e sob a minha honra.
Eu juro, por Apolo, médico, por EsculápioHigeia e Panaceia, e tomo por testemunhas todos os deuses e todas as deusas, cumprir, segundo meu poder e minha razão, a promessa que se segue:
Estimar, tanto quanto a meus pais, aquele que me ensinou esta arte; fazer vida comum e, se necessário for, com ele partilhar meus bens;
Ter seus filhos por meus próprios irmãos; ensinar-lhes esta arte, se eles tiverem necessidade de aprendê-la, sem remuneração e nem compromisso escrito; fazer participar dos preceitos, das lições e de todo o resto do ensino, meus filhos, os de meu mestre e os discípulos inscritos segundo os regulamentos da profissão, porém, só a estes.
Aplicarei os regimes para o bem do doente segundo o meu poder e entendimento, nunca para causar dano ou mal a alguém. A ninguém darei por comprazer, nem remédio mortal nem um conselho que induza a perda. Do mesmo modo não darei a nenhuma mulher uma substância abortiva.
Conservarei imaculada minha vida e minha arte.
Não praticarei a talha, mesmo sobre um calculoso confirmado; deixarei essa operação aos práticos que disso cuidam.
Em toda a casa, aí entrarei para o bem dos doentes, mantendo-me longe de todo o dano voluntário e de toda a sedução sobretudo longe dos prazeres do amor, com as mulheres ou com os homens livres ou escravizados.
Àquilo que no exercício ou fora do exercício da profissão e no convívio da sociedade, eu tiver visto ou ouvido, que não seja preciso divulgar, eu conservarei inteiramente secreto.
Se eu cumprir este juramento com fidelidade, que me seja dado gozar felizmente da vida e da minha profissão, honrado para sempre entre os homens; se eu dele me afastar ou infringir, o contrário aconteça."
Todo brasileiro tem direito ao atendimento médico de qualidade, porém há uma irresponsabilidade na condução da saúde pública como um todo, o que coloca várias vidas em risco diariamente.

Indignada

Dryca Lys

Categories: Share

Leave a Reply